SINDVEST - SINDVEST

Mais que um evento, um movimento de moda que retorna para o calendário da cidade e aquece o mercado da moda fluminense. Realizado entre 15 e 18 de junho, o Rio Moda Rio, que tem o Sistema FIRJAN como principal parceiro, chegou para retomar a vocação do Rio de Janeiro para a moda.

A última semana foi intensa, com desfiles, palestras e um espaço dedicado ao consumidor final, para comercialização de produtos das marcas participantes. Marcas como Osklen, Lenny, Isabela Capeto, Patricia Vieira, Blue Man e Alessa apresentaram suas coleções em desfiles que animaram o público.

Para Luiz Carlos Damião, presidente do Sindicato da Indústria do Vestuário de Campos, o Rio Moda Rio marca o início de um novo e promissor período para o setor. “Nosso estado tem que voltar a ditar a moda do Brasil e essa é uma iniciativa que caminha nessa direção. O Sistema FIRJAN está de parabéns”, disse.

Conteúdo de qualidade

Durante o evento, a FIRJAN promoveu palestras com diferentes temas ligados a moda. O público acompanhou atento e participou ativamente das discussões apresentadas. Já no primeiro dia, a metodologia de pesquisas de macrotendência FuturID fio apresentada aos participantes na palestra “FuturID – Como a metodologia de pesquisa apoia as empresas na identificação das macrotendências”.

Resultante de um trabalho iniciado pela área de moda da FIRJAN em 2007, a metodologia é uma ferramenta estratégica para a competitividade das empresas e pode ser aplicada em todos os setores industriais. A proposta do FuturID é identificar as transformações que ocorrerão no futuro, como elas vão alterar a forma como a sociedade se comporta, proporcionando as empresas detectar oportunidades de negócios e desenvolvimento de novos produtos.

A “Economia Criativa e a Indústria da Moda” foi o tema do segundo dia de palestra. O debate reuniu empresários com casos de sucesso, que compartilharam suas experiências com o público. Com uma história de sucesso na indústria criativa, Scott Hamlin, ex-CEO da Adidas e atual presidente da Looptworks, contou como a companhia fundou seu modelo de negócios baseado no upcycling – método que utiliza resíduos para fabricação de novos produtos com alto valor agregado.

Um dos destaques da empresa é a linha de bolsas Luv Seat. Os produtos foram feitos com resíduos de couro de 80 mil assentos de uma companhia aérea, que iriam para descarte. Para Hamlin, a grande oportunidade está em descobrir como aproveitar problemas para criar negócios criativos.

A última palestra foi marcada pelo lançamento do livro Cenário #praia, publicado pelo SENAI. A obra conta a história da moda praia desde o início do século XX, passando por todas as décadas até a atualidade, contextualizando as evoluções das peças e como foram se adaptando às mudanças de comportamento da sociedade.

Além de abordar a história, o livro também traz textos técnicos sobre estamparia, modelagem, dados econômicos do setor e sua intersecção com outros segmentos da moda.

Ações de fomento

O Rio Moda Rio contou ainda com um espaço dedicado ao consumidor final para comercialização de produtos das marcas participantes, bem como de novos estilistas e designers, incluindo empresas participantes dos polos de moda da FIRJAN.

Além disso, a Federação levou empresários de moda de diversas regiões do estado do Rio para conhecer e participar do evento. Para Michele Costa, proprietária da marca de roupas Bossa, do município de Campos, o Rio Moda Rio foi uma grande oportunidade para fechar novas parcerias para seu negócio: “Achei ótima a ação da FIRJAN de aproximar todas as regiões do estado nesse movimento. Particularmente, considero que foi muito satisfatório, e já iniciei contato com uma loja de acessórios para uma parceria”.

Os alunos do SENAI Espaço da Moda, de Nova Friburgo, também participaram do evento. Na quinta-feira, 16, eles assistiram aos desfiles das marcas Mara Mac e Isabela Capeto, e também foram recebidos para um bate papo com a estilista Isabela.

A estilista falou sobre o processo criativo e o que a inspira para criar suas coleções. Para ela, a iniciativa é uma grande oportunidade para os alunos do curso técnico de vestuário: “É bom que eles possam aprender desde cedo que a noda não é só glamour, esse é um mercado em que a concorrência é muito grande”.

Para a aluna Franciele Machado, participar do evento é uma experiência fundamental para sua formação: “Visitar o Rio Moda Rio despertou um olhar crítico, principalmente pela oportunidade de conversar com uma estilista famosa. Isabela nos ensinou a criar sem fazer cópias do que já foi produzido, mas sim, buscando nosso próprio estilo”.

Desenhado em conjunto com os empresários do setor, a programação do Rio Moda Rio seguirá ao longo do ano, com edital para novos estilistas, sendo que três deles serão premiados com a participação na segunda edição do evento; ciclos de palestras temáticas; exposições de relevância cultural e artística para a cidade; e, no fim do ano, um prêmio dedicado aos melhores do segmento em 12 diferentes categorias.

Após as semanas de apresentação das coleções, empresários fluminenses vão participar de rodadas de negócios em outros estados, tendo a oportunidade de expandir o mercado de venda de seus produtos.

Fonte: Sistema FIRJAN

O modelo de sustentabilidade e de investimento em inovação desenvolvido em Portland, nos Estados Unidos, fez da cidade uma das mais inovadoras do continente americano, além de ser referência nos temas. O Sistema FIRJAN promoveu a Missão Setorial de Moda Portland, possibilitando que empresários deste segmento estudassem a experiência da cidade, com o objetivo de trazer para a indústria do Rio iniciativas de sucesso.

“Mais do que visitas técnicas, possibilitamos aos empresários uma viagem com imersão em design, gestão colaborativa, inovação, empreendedorismo e sustentabilidade. Definimos Portland porque a cidade possui um cluster de moda que reúne empresas de calçados e de confecção esportiva, bem como outras do encadeamento produtivo, além de um modelo de gestão que permite desenvolver esses conceitos junto às empresas”, explicou Ana Carla Torres, chefe de Desenvolvimento Setorial da FIRJAN.

As visitas começaram pela First Stop Portland, departamento da prefeitura responsável pelo planejamento estratégico da cidade em longo prazo. Na ocasião, os empresários conheceram a história do local e como Portland tornou-se sustentável, tanto em sua infraestrutura como no desenvolvimento de sua indústria.

Workshops para o setor

A missão incluiu também visita a empresas como Nike, Columbia, Viba Design, Looptworks e Tendleton, além de workshops ministrados por importantes especialistas do setor, como Eric Fishman, que preside o Metropolitan Sistem B. O sistema é referente à certificação em sustentabilidade e à legislação que transforma o lucro das empresas em investimento em Responsabilidade Social.

Mary Nichlos, fundadora da Karmic Marketing, falou sobre a importância da história dos negócios e da conexão com os clientes. O designer Jason Eric Brown, da Footwear Materials CMF RD&D Evangelist, debateu o grande impacto que as empresas podem ter na sociedade. Já Tito Chowdhury, produtor executivo do FashionNXT, semana de moda local, ministrou palestra sobre tecnologia. O evento é o segundo mais importante do setor no país.

As visitas e workshops fizeram parte do programa Study Tour, da Portland State University, e o prefeito da cidade, Charlie Hales, entregou os certificados aos empresários.

A Missão Setorial de Moda Portland foi realizada entre 30 de maio e 3 de junho.

Fonte: Sistema FIRJAN

Um dia inesquecível. Essa foi a sensação de 26 alunos do SENAI Espaço da Moda, de Nova Friburgo, depois de visitarem o Rio Moda Rio no dia 16 de junho. Estudantes do curso técnico de vestuário, eles puderam conhecer pessoalmente um grande evento do setor. Além de assistirem aos desfiles das marcas Mara Mac e Isabela Capeto, eles tiveram o privilégio de serem recebidos pela própria Isabela para um bate-papo.

A consagrada estilista falou sobre o seu processo criativo e o que a inspira para desenhar suas coleções. “Busco ideias nas mais variadas formas de arte, como arquitetura, por exemplo. A cabeça tem que estar sempre aberta às novidades, inclusive o de reaproveitar materiais que já foram usadas. Podemos pegar uma roupa velha e recriá-la em algo completamente novo”, disse ela.

Referência no setor, Isabela acredita que essa foi uma grande oportunidade para os alunos do SENAI. “É bom que eles puderam aprender desde cedo que a moda não é só glamour. Esse é um mercado em que a concorrência é muito grande, então tem que trabalhar bastante e ter persistência. Além de estudar, tem que ser apaixonado pelo que faz”, completou a estilista, que aproveitou para exaltar o Rio Moda Rio. “Eu não poderia ficar de fora desse evento. O Rio é uma cidade que dita moda, em que as pessoas são mais soltas, coloridas e se permitem ousar”.

No dia do seu aniversário de 19 anos, Hannah Abd disse que recebeu um grande presente do SENAI. “É a minha primeira vez em um evento desse tipo e estou completamente encantada. Vou voltar pra casa cheia de ideias e já querendo desenhar novos croquis. Sem dúvida esse foi um abridor de portas na minha vida”, disse a mineira que está em busca do seu primeiro emprego na área.

Para Diego Bonan, de 24 anos, foi uma chance de ver a moda em todo o seu contexto. “Muita gente pensa que é algo superficial e no evento eu pude desconstruir essa visão. A Isabela nos mostrou o quanto a sustentabilidade é importante, ao se pensar em quais materiais usar para fazer cada peça e na preocupação com a sociedade. Abriu a minha visão”, comentou o assistente comercial de uma confecção em Bom Jardim.

Apesar de ter apenas 23 anos, Franciele Machado já é uma veterana no assunto. “Trabalho desde pequena ajudando a minha mãe que é costureira. Visitar o Rio Moda Rio despertou em mim um olhar crítico, ainda mais porque pude conversar pessoalmente com uma estilista famosa. Ela nos disse para criarmos sem fazer cópias do que já foi produzido e buscarmos impor nosso próprio estilo”, disse ela, que já tinha feito outros cursos na área de moda e quer se especializar cada vez mais.

O resultado da visita promete enriquecer também a participação dos alunos em outro evento importante para o setor, a 26ª edição da Fevest – Feira de Moda íntima, Praia, Fitness e Matéria-prima, realizada em Nova Friburgo, este ano entre os dias 6 e 10 de julho. A turma está participando do projeto Novos Talentos, proposta que mobiliza os alunos a criar peças inovadoras e engajadas nas tendências que embalam o mundo. Eles são responsáveis por todas as fases de produção: do desenho ao acabamento. A ideia é inspirada nas fachadas de escolas internacionais como a London College, na Inglaterra, e promete deixar cidade ainda mais no clima da feira.

O Rio Moda Rio, que tem o Sistema FIRJAN como principal parceiro, termina sua primeira etapa no sábado, dia 18. Coleções de 14 marcas, como Osklen, Blue Man e Alessa, foram apresentadas, além de atrações musicais, arte e gastronomia. Ao longo do ano inteiro, serão realizadas ações, como palestras, rodadas de negócios, edital de novos talentos e um prêmio para os destaques do setor, numa forma de impulsionar a Cadeia da Moda de forma perene.

Fonte: Assessoria de Imprensa Representação Regional FIRJAN/CIRJ no Centro-Norte Fluminense

Para deixar moradores e visitantes de Nova Friburgo ainda mais no clima da 26ª edição da Fevest – Feira de Moda íntima, Praia, Fitness e Matéria-prima – o SENAI Espaço da Moda promove, mais uma vez, o projeto Novos Talentos. A proposta mobiliza os alunos a criar peças inovadoras e engajadas nas tendências que embalam o mundo. Eles são responsáveis por todas as fases de produção: do desenho ao acabamento. A ideia é inspirada nas fachadas de escolas internacionais como a London College, na Inglaterra.

Além de expostas durante a Fevest 2016, as peças de moda íntima criadas pelos alunos vão passar por uma produção fotográfica profissional e o resultado vai estampar o gradil do SENAI Espaço da Moda, na Avenida Conselheiro Julius ARP, 85, no Centro da cidade. Como já é tradição, o ponto de ônibus em frente ao espaço também vai ser personalizado com tema relacionado ao projeto.

A temática este ano é esportiva. “Não é uma tendência que acaba em seis meses. Manter-se em movimento, nos dias atuais, é um direcionamento de saúde que percebemos na sociedade. Imprimimos no produto o que absorvemos do ambiente. Tecidos com elasticidade, respirabilidade, são muito usados. Além das cores básicas como preto, branco e cinza, temos duas tonalidades fortes que são referência nesse universo: o pink e o laranja”, revelou Milena Cariello, especialista em moda do SENAI.

A ideia de usar a fachada do SENAI para divulgar o trabalho dos alunos surgiu durante uma das viagens de pesquisa de tendências realizadas pela Federação. Durante a análise de grandes escolas de moda internacionais, os especialistas perceberam que a vitrines estavam repletas de produções de estudantes. A partir daí, o Sistema FIRJAN formatou junto com o Sindvest o projeto Novos Talentos que tem como principal objetivo transformar o SENAI de Nova Friburgo em um grande expositor com o conteúdo que é desenvolvido nos cursos.

A 26ª edição da Fevest Festival acontece de 06 e 10 de julho, no Country Clube, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Estado do Rio Janeiro. Entre as novidades para esta edição está a abertura para o público nos dias 09 e 10 de julho, quando moradores da região e visitantes poderão conferir e comprar direto de seus criadores, com preços promocionais.

A Feira é uma realização do Sindvest (Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo e Região), promovida pelo Sistema Firjan e Sebrae, com o apoio do Conselho da Moda, Prefeitura de Nova Friburgo, Rede InterTV, TexBrasil, Abit, Apex; e organização da Teia de Eventos.

Fonte: Assessoria de Imprensa Representação Regional FIRJAN/CIRJ no Centro-Norte Fluminense

Empresários interessados em atuar no mercado exterior podem participar gratuitamente do “Workshop: como identificar mercados internacionais e adequar o seu produto”, que acontece no dia 15 de junho, no SENAI Espaço da Moda, em Nova Friburgo. O evento, que vai das 9h30 às 18h, vai tratar do engajamento aos mercados internacionais e da superação de barreiras técnicas, além da identificação de oportunidades de negócios.

Canais de visibilidade, classificação de produtos, ferramentas na identificação de oportunidades, escolha e estudo de mercado alvo e formação de preço na exportação são alguns dos assuntos das palestras.

“A inserção internacional demanda uma ação estratégica da empresa voltada para a inteligência comercial e a adequação dos produtos. Esse workshop visa a dar orientações práticas para conhecer mercados internacionais e seus requisitos para acesso”, explica Thiago Pacheco, da FIRJAN Internacional. Os participantes poderão conhecer ferramentas voltadas a analisar mercados potenciais, a divulgar seu produto para outros países e a encontrar compradores em outros países.

O workshop também vai trabalhar com a etapa posterior da identificação das oportunidades: como se faz para adequar o produto aos requisitos do mercado de destino da exportação. Os participantes vão aprender conceitos importantes desse processo e saber onde encontrar as informações e instrumentos voltados para vencer barreiras técnicas.

As inscrições gratuitas estão sendo feitas pelo 0800 0231 231 ou 4002-0231. O SENAI Espaço da Moda fica localizado na Av. Conselheiro Julius Arp, 85, no Centro de Nova Friburgo.

SERVIÇO
Workshop: como identificar mercados internacionais e adequar o seu produto 
Local: SENAI Espaço da Moda - Av. Conselheiro Julius Arp, 85, no Centro de Nova Friburgo. 
Dia: 15 de junho
Hora: Das 9h30 às 18h. 
Entrada: Franca
Público-Alvo: Empreendedores

As novas formas de produção e consumo sustentáveis são cada vez mais relevantes para a economia. Atento a esta tendência, o Sistema FIRJAN reuniu empresários fluminenses, representantes do governo e especialistas nacionais e internacionais para debater economia circular e logística reversa na quarta edição do Seminário Ação Ambiental.

“O Sistema FIRJAN tem uma cultura de respeito ao meio ambiente e foco na sustentabilidade da indústria. E a economia circular é uma forma de impulsionar a eficiência nas empresas com grandes oportunidades de ganhos ambientais”, declarou Luiz Ernesto Guerreiro, diretor de Qualidade de Vida da Federação.

Um dos cases apresentados foi o da Holanda, que criou uma aceleradora para trabalhar as diversas vertentes do modelo circular de economia com empresas. De acordo com o especialista Douwe Jan Joustra, o Brasil tem um grande potencial para se destacar nessa nova economia. “Redesenhem seus negócios, pensem em como aproveitar ao máximo a matéria-prima e a mão de obra disponível. Mais do que sustentabilidade, economia circular é diz muito sobre fazer negócios”, destacou.

O evento também apresentou cases de micro, pequenas e grandes empresas que conseguiram expandir negócios e ampliar sua rentabilidade por meio dessa economia. Algumas das possibilidades estão na oferta de serviços em substituição à venda do produto, nas novas plataformas de compartilhamento e na utilização de matérias-primas mais duráveis, que otimizam e agregam valor à produção.

“A transição de um modelo linear por um circular envolve a redefinição de valores. Não é só pensar em novos designs de produtos, mas de serviços, de remanufatura”, destacou Beatriz Luz, fundadora da Exchange 4 Change.

No painel que abordou as perspectivas e caminhos possíveis da economia circular, foi discutido como o setor privado, o terceiro setor e o governo podem atuar em conjunto para a difusão do tema. Uma das iniciativas que poderá viabilizar essas parcerias é a criação de uma agência de economia circular, ação que está na agenda do plano estratégico do Rio Resiliente, programa da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Logística reversa

No debate sobre logística reversa, o evento apresentou uma visão geral sobre o tema, com a presença de produtores de embalagens, consumidores e recicladores. A logística reversa está prevista no Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionado pela Lei 12.305, em 2010. O plano estabelece que as empresas têm responsabilidade compartilhada sobre a gestão de seus produtos pós-consumo, quando se tornam resíduos.

“Não cabe à indústria substituir o papel da prefeitura, mas o que o PNRS prevê é que o setor industrial deve criar ações complementares e mecanismos para escoar o material coletado por cooperativas de catadores”, explicou André Vilhena, representante do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre).

Ailton Storolli, consultor da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), destacou que a implementação dessa logística deve ser pensada em conjunto entre todos os segmentos envolvidos. “Temos que pensar em um modelo adaptado à nossa realidade, sem colocar em risco a sobrevivência dos setores. As empresas competem no mercado, mas, em relação a esse tema, têm um desafio em comum”, destacou.

O evento também debateu sobre os aspectos práticos da logística reversa para o setor de embalagens, trazendo as iniciativas de organizações não governamentais e boas práticas do setor empresarial.

O Ação Ambiental é um projeto anual da Gerência de Meio Ambiente do Sistema FIRJAN. O seminário foi promovido em parceria com a Exchange 4 Change, o Consulado Geral do Reino dos Países Baixos no Rio de Janeiro e o Cempre.

Para mais informações sobre o Seminário Ação Ambiental e para acessar as apresentações desta edição, clique aqui.

Fonte: Sistema FIRJAN

Quarta, 08 Junho 2016 11:45

RIO MODA RIO AGITA MERCADO FLUMINENSE

Escrito por

Com o objetivo de retomar a vocação do Rio de Janeiro para a moda, o Movimento Rio Moda Rio, que tem o Sistema FIRJAN como principal parceiro, inicia seu ciclo entre os dias 15 e 18 deste mês. Marcas como Osklen, Lenny, Isabela Capeto, Patricia Vieira, Blue Man e Alessa vão apresentar suas coleções no evento realizado no Píer Mauá.

Desenhado em conjunto com os empresários do setor, a programação da nova plataforma seguirá ao longo do ano, com edital para novos estilistas, sendo que três deles serão premiados com a participação na segunda edição do evento; ciclos de palestras temáticas; exposições de relevância cultural e artística para a cidade; e, no fim do ano, um prêmio dedicado aos melhores do segmento em 12 diferentes categorias.

Ações de fomento

Com produção da Dream Factory e da L21, o Rio Moda Rio também vai contar com um espaço dedicado ao consumidor final para comercialização de produtos das marcas participantes, bem como de novos estilistas e designers, incluindo empresas participantes dos polos de moda da FIRJAN. O movimento é um catalisador da indústria criativa e potencializa a participação da indústria do estado do Rio em diversas outras atividades.

O SENAI, como patrocinador master do Rio Moda Rio, e o SESI, como apoiador da nova plataforma, vão promover diversas ações de apoio às empresas da Cadeia da Moda. Alunos de cursos do SENAI vão poder visitar o evento no Píer Mauá para ver de perto os talentos que lançam tendências e fazem a diferença na moda do Rio.

Nos dias 15, 16 e 17, às 19h, profissionais do Sistema FIRJAN vão apresentar palestras com conteúdos relevantes para o setor: Consumo Consciente/Economia Circular, Economia Criativa na Indústria da Moda e Cenário Moda Praia, respectivamente.

O SESI vai estar presente com ações de qualidade de vida e bem estar. Quem estiver presente no evento, vai contar com orientação de profissionais que vão avaliar percentual de gordura, massa magra e peso ideal. Teste da pisada e avaliação da postura correta ao sentar e manusear uma máquina de costura, por exemplo, também estarão disponíveis.

Após as semanas de apresentação das coleções, empresários fluminenses vão participar de rodadas de negócios em outros estados, tendo a oportunidade de expandir o mercado de venda de seus produtos.

Fonte: Sistema FIRJAN

A FIRJAN Internacional e a Funcex promoverão, no dia 16 de junho, das 9h às 18h, na sede da fundação (Av. Rio Branco, 120 - Grupo 707 – Centro) o curso “Transporte internacional, Estrutura do comércio exterior; Logística & Competitividade”, voltado para profissionais que desejam ingressar no comércio exterior e buscam conhecimento sobre os processos.

A capacitação será ministrada pela especialista em comércio exterior e membro do Conselho Técnico da AEB, Marilza Gama, e apresentará a estrutura do comércio exterior brasileiro e seus principais reguladores, com as modalidades de transporte internacional de mercadorias, suas vantagens, desvantagens e a importância da logística na distribuição de produtos. Reunindo três temas ligados ao comércio exterior, ao final do treinamento o participante conhecerá:

I) as modalidades de transporte de mercadorias no mercado internacional, suas características, vantagens e desvantagens, assim como o tratamento necessário no preparo da mercadoria;

II) a estrutura do comércio exterior brasileiro, seus principais reguladores;

III) a importância da logística na distribuição dos produtos no exterior, quais são as melhores práticas, recursos e sistemas vigentes.

O investimento é de R$ 330,00 e R$ 250,00 para associados ao Sistema FIRJAN. Para participar do evento, faça o download do formulário, preencha e envie para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.. Lembre-se de anexar o comprovante de pagamento e atente para o prazo. Confira o programa:

1. Transporte internacional
• Transformação da mercadoria em carga: Preparação da carga e unitização, Contêiner, Consolidação de carga, Análise da carga a ser transportada, Riscos inerentes à carga
• Terminais de carga: portos, aeroportos, pontos de fronteira
• Principais modais utilizados no comércio internacional: transporte marítimo, transporte aéreo, transporte terrestre, decisão do modal de transporte
• Multimodalidade nos transportes

2. Estrutura do comércio exterior brasileiro
• Funcionamento/consolidação das tarifas brasileiras
• Estrutura/funcionamento
• Relacionamento externo

3. Para quem exportar: conhecendo o importador
• Logística e comércio internacional: ferramentas eletrônicas, a importância do fator tempo, economia de escala e parcerias, gerenciamento da cadeia de suprimentos - supply chain management
• Operadores logísticos, Distribuição física internacional: centros de distribuição
• Logística e competitividade brasileira: Siscomex carga – Siscarga, Portos secos

Mais informações:

FUNCEX
(21) 2509-7000, 3529-7002, 98111-1760
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Skype: cursos.funcex

FIRJAN
(21) 2563-4600
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou por unanimidade o Projeto de Lei Complementar no 21/2016, que revoga a Taxa Única de Serviços Tributários da Receita Estadual. O resultado da votação, realizada em 31 de maio, anula os efeitos da Lei no 7.616/2015, instituída no ano passado, e representa importante vitória do Sistema FIRJAN e dos empresários fluminenses.

Para Sergei Lima, presidente do Conselho de Assuntos Tributários da Federação, o texto de criação da taxa era legalmente inconsistente. “A FIRJAN sinalizou a inconstitucionalidade da taxa desde o início do processo. Percebemos que o tributo poderia causar um impacto significativamente negativo para todas as empresas”, destacou Lima, que também preside o Sindicato das Indústrias Gráficas do Sul Fluminense (Singrasul).

O Sistema trabalhou pelos interesses dos empresários, junto aos deputados, desde que a Lei no 7.616 começou a tramitar na Assembleia, no final de 2015, sendo aprovada em 28 de dezembro, sem que tivesse havido amplo debate sobre o tema. O tributo instituía a cobrança trimestral de uma taxa de serviços prestados pela Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro para todos os contribuintes de ICMS do estado, e representava um novo imposto, no entendimento da Federação.

Após a aprovação, a FIRJAN impetrou um mandado de segurança coletivo em defesa dos associados ao Centro Industrial do Rio de Janeiro (CIRJ), bem como ajuizou uma Representação de Inconstitucionalidade perante o Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). Ambas as liminares solicitadas nos processos foram deferidas, sendo a segunda responsável por suspender a cobrança da taxa em relação a todas as empresas do estado.

Em apenas duas semanas a FIRJAN obteve mais vitórias: o compromisso dos deputados, em audiência pública na Alerj, em 23 de maio, de elaborar proposta para revogar a lei, além da publicação, no Diário Oficial, de decreto suspendendo de imediata da cobrança.

“Depois de algum tempo, felizmente a ALERJ, entendendo a relevância do tema para o setor privado fluminense, aprovou a proposta que revoga a lei da taxa trimestral, pondo fim a discussão sobre este novo, inconstitucional e indesejado tributo. O PL agora segue para a sanção do governador. Como as lideranças do governo foram favoráveis, esperamos pela sanção. É sem dúvida uma vitória do setor privado e da FIRJAN”, comemorou Sandro Machado, consultor Jurídico Tributário do Sistema.

Fonte: Sistema FIRJAN

Atento ao conturbado cenário político-econômico que o Brasil atravessa, e por acreditar que a indústria fluminense é capaz de contribuir para o crescimento do estado, o Sistema FIRJAN lançou o Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro 2016-2025. O documento, construído em conjunto com mais de mil empresários, consolida as propostas da indústria para fazer do Rio de Janeiro o melhor ambiente de negócios do país, além de propor ações referentes a questões estruturais para a retomada do crescimento econômico do Brasil.

O Mapa do Desenvolvimento foi entregue pelo presidente do Sistema FIRJAN, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e ao governador do Rio em exercício, Francisco Dornelles. O encontro aconteceu nesta segunda-feira, 30, no evento que marcou as comemorações do mês da Indústria, na sede da Federação.

“Este trabalho que desenvolvemos desde o ano passado é muito importante para repensar o futuro do nosso estado. Envolvemos empresários, pesquisadores, líderes sociais e políticos de todo o estado do Rio. A colaboração foi profunda e eficiente. As propostas do Mapa destacam o rumo que entendemos ser o melhor para o Rio trilhar”, ressaltou Eduardo Eugenio.

O novo Mapa apresenta 46 propostas e 158 ações, distribuídas em cinco temas: Sistema Tributário, Mercado de Trabalho, Infraestrutura, Gestão e Políticas Públicas e Gestão Empresarial. Para atingir esses objetivos e beneficiar toda a sociedade, o Sistema FIRJAN atuará em quatro frentes: articulação institucional; produção de estudos e posicionamentos que apoiem técnica e politicamente os pleitos industriais; mobilização empresarial; e oferta de serviços pelo SENAI, SESI e IEL, para alavancar a qualificação de trabalhadores, empresários e a competitividade industrial.

“A FIRJAN tem tido um trabalho pioneiro para o desenvolvimento do Rio de Janeiro. As questões apresentadas aqui são as que preocupam o empresariado, como a burocracia, a carga fiscal, os problemas trabalhistas e os problemas da previdência”, destacou Dornelles. Para o governador, o encontro promovido pela Federação entre empresários e representantes políticos é fundamental para o fortalecimento fluminense.

Construção do Mapa

Esta edição toma como ponto de partida as conquistas do Mapa do Desenvolvimento lançado pelo Sistema FIRJAN em 2006. O primeiro Mapa inspirou ações do poder público e trouxe conquistas para o ciclo de recuperação fluminense. Das ações apresentadas, 74% foram concluídas ou tiveram avanços. Entre as principais se destacam a implantação do Arco Metropolitano e a eliminação de gargalos de processos para portos e aeroportos.

Para a construção do novo documento, os debates envolveram todos os 92 municípios do Rio, reunindo os pleitos e demandas de todas as regiões e participação ativa de mais de mil empresários. As propostas foram extraídas de reuniões presenciais - em Conselhos temáticos e nas Representações Regionais -, e da pesquisa on-line que contou com uma base ampliada da indústria fluminense, garantindo representatividade industrial e legitimidade.

Além do documento consolidado, o Sistema FIRJAN entregará até julho uma agenda para a capital e outras nove regionais. Elas vão aprofundar as questões de cada região fluminense, propondo ações para os desafios locais e servindo como instrumento de debate para as eleições municipais deste ano. O objetivo do Mapa do Desenvolvimento é continuar sendo uma bússola para o desenvolvimento de todo o estado e um norte para as ações do Sistema FIRJAN na próxima década.

“Uma das inovações mais importantes da nova edição são as agendas regionais. Essa iniciativa mostra que há uma preocupação com todo o estado do Rio. É importante que se tenham ações específicas para o interior, porque temos muito a contribuir para o desenvolvimento da economia fluminense”, disse Alceir Corrêa , presidente da Representação Regional FIRJAN/CIRJ no Centro-Sul Fluminense e do Sindicato da Indústria de Alimentação e Panificação de Três Rios e Região (Sindal).

Luiz Césio Caetano, presidente da Representação Regional FIRJAN/CIRJ no Leste Fluminense, destacou que o Mapa será uma ferramenta importante para auxiliar os governos a elaborarem políticas públicas que fomentem o crescimento. “Os temas propostos no documento são complementares. Um pleito básico, por exemplo, é melhorar a infraestrutura. E a medida que se tem infraestrutura, também surge a necessidade de qualificação do trabalhador, de simplificação tributária, e assim por diante. Todas essas questões sendo trabalhada juntas é o que promoverá a competitividade da indústria fluminense”, afirmou o empresário, que também preside o Sindicato da Indústria de Refinação e Moagem de Sal do Estado do Rio de Janeiro (Sindisal).

O novo Mapa é um instrumento vivo e conta com um modelo de gestão que possibilita o acompanhamento sistemático dos avanços e a realização de ajustes nas propostas e ações.

Confira aqui o documento completo e conheça todas as propostas da indústria no Mapa do Desenvolvimento 2016-2025.

Fonte: Sistema FIRJAN

img logo rodape

22 2523-8531 . 22 2533-2279

Rua Ariosto Bento de Melo, 65 . lojas 03 e 04

Centro . Cep 28610-100 . Nova Friburgo . RJ

img logo cni img logo firjan img logo sebrae img logo moda