SINDVEST - SINDVEST
Terça, 24 Maio 2016 13:45

SEMINÁRIO DE MODA APRESENTA MAPEAMENTO DO SETOR

Escrito por

Segmento estratégico da indústria criativa fluminense, o setor de moda tem diversas oportunidades de negócios e possibilidades de incremento com o surgimento de novas tecnologias. Para aproveitar tais oportunidades e fomentar o crescimento do setor, o Sistema FIRJAN lançou o estudo Retratos Setoriais da Cadeia da Moda, dentro do 1º Seminário de Moda, realizado no dia 17 de maio.

De acordo com o levantamento, a cadeia da moda conta com 26.767 estabelecimentos no estado, que empregam quase 200 mil trabalhadores, consolidando-se como um setor de alto valor agregado, cujos preços médios na exportação são sete vezes superiores à média nacional.

Antonio Berenguer, vice-presidente do Centro Industrial do Rio de Janeiro (CIRJ), acredita que o estado deve investir no potencial exportador dessa indústria para aumentar sua competitividade: “Somos o quarto país em tamanho de produção têxtil no mundo. Se fizermos políticas de acordos bilaterais com economias estratégicas podemos fortalecer ainda mais as exportações”.

Para Roberto Leverone, fundador do Grupo Floc, eventos como o Veste Rio e o Rio Moda Rio, ambos apoiados pela FIRJAN, demonstram a força do setor no estado. “Temos que elevar a marca Rio, que é muito forte. O estado tem um carisma especial, e devemos explorar isso. Esses novos movimentos para o setor de moda trarão boas oportunidades de negócios”, afirmou ele, que também é vice-coordenador do Fórum de Moda da Federação.

FuturID é novidade para o setor

No seminário também foi lançada a FuturID, metodologia de pesquisa de macrotendências elaborada pela Federação. A publicação reúne informações relevantes para o empresário, com direcionamento sobre como surpreender os clientes e entregar produtos inovadores antecipando movimentos e comportamentos da cadeia.

Carol Fernandes, especialista da Gerência Geral de Desenvolvimento Setorial, explica que a publicação vai permitir aos empresários aplicar essas pesquisas como uma ferramenta estratégica para os negócios: “O importante é buscar um olhar mais amplo com foco na identidade da marca”.

Uma das macrotendências observadas a partir da metodologia FuturID é o Consumo Consciente. Economia circular e colaborativa foram temas abordados no segundo painel do Seminário de Moda.

A Malha, galpão de coworking e coprodução idealizado por Andre Carvalhal, diretor de Marketing da Farm, é um dos casos de sucesso dessa nova economia. O espaço irá abrigar diferentes empresas do setor para compartilharem suas produções. O local também funcionará como uma escola, com palestras e cursos setoriais, além de ter um fashionlab para desenvolvimento de tecnologias.

Outro case apresentado foi o da loja virtual Comas. A empresa, que já nasceu dentro do conceito circular, compra camisetas masculinas inutilizadas pelas grandes fábricas e as reaproveita como matéria-prima para produção de roupas femininas.

Expectativas para o futuro

Além de mais sustentável, a moda do futuro será altamente tecnológica. Essa foi a visão defendida pelos pesquisadores do SENAI CETIQT, Flavio Bruno e Ariel Vicentini. De acordo com eles, a indústria 4.0 transformará a cadeia da moda, modificando sensivelmente a confecção, o design e os materiais do setor. As confecções tradicionais, ao longo das próximas décadas, poderão contar com equipamentos como impressoras 3D e terão a automação e a robótica incorporadas à produção.

Uma inovação já iniciada e que será intensificada são as tecnologias vestíveis. As designers de moda holandesas Pauline van Dongen e Marina Tveters já estão à frente dessa tendência, e apresentaram o produto Phototrope, uma camiseta de corrida iluminada que aumenta a proteção de atletas e corredores que se exercitam ao ar livre em horários noturnos.

“A tecnologia pode aumentar o valor agregado das peças. Para conectar as pessoas com essa inovação, o desafio é buscar um maior equilíbrio entre o design e a função da roupa”, declarou Pauline.

O evento também contou com a participação de Arjen Uijterlinde, cônsul-geral da Holanda no Rio de Janeiro; Sergio Motta, diretor executivo do SENAI CETIQT; Marc Dias, gerente de programas estratégicos do Sebrae-RJ; e Roberto Meireles, do Instituto Rio Moda.

O 1º Seminário de Moda foi promovido pelo Sistema FIRJAN em parceria com o SENAI CETIQT, o Sebrae-RJ, o Instituto Rio Moda e o Consulado Geral do Reino dos Países Baixos.

Fonte: Sistema FIRJAN

O Atestado de não similaridade estadual é um documento exigido pela Secretaria da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro. Seu objetivo é gerar benefícios fiscais relacionados ao ICMS sobre a operação de importação ou aquisição interestadual, de acordo com a Lei 6979/2015 (Lei Pezão), que garante tais benefícios. A FIRJAN, no cumprimento do Decreto nº 45.237/2015, realizará a emissão de Atestados de Não Similaridade por meio de Consultas Públicas a toda a base produtiva do estado do Rio. É importante que, antes da solicitação da consulta, a empresa verifique se atende a todos os requisitos exigidos pela lei.

COMO FAZER

Para solicitar o atestado

Para solicitar a “Consulta pública de não similaridade”, a empresa interessada deve preencher o formulário de solicitação e enviar por e-mail para a FIRJAN juntamente com os documentos necessários. A FIRJAN verificará a documentação e dará início ao processo de consulta pública. Após o prazo de 15 dias, se não houver manifestação de produção estadual, será emitido o Atestado de Não Similaridade.

Para manifestar produção

Para a “Manifestação de produção estadual”, a empresa fluminense que produz o bem que está em consulta pública deve preencher o formulário de contestação e enviar por e-mail para a FIRJAN juntamente com os documentos solicitados. A FIRJAN verificará a documentação e, após o término do período da consulta pública, entrará em contato com as empresas participantes do processo e informará o resultado, que pode ser a emissão do Atestado de Não Similaridade ou do Atestado de Manifestação de Similaridade.

Taxa
R$ 300 (associado sindicato)
R$ 350 (associado CIRJ)
R$ 450 (não associado)

Regras e procedimentos

Confira as regras e procedimentos e procedimentos clicando aqui. Veja mais sobre o Atestado de Não Similaridade no site do Sistema FIRJAN.

Ficou com alguma dúvida?

Entre em contato pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou pelos telefones 2563-4229/4647.

O Sindvest convida empresários, estudantes e profissionais da indústria para participar do Seminário Ação Ambiental 2016, que ocorrerá nos dias 1º e 2 de junho, na sede do Sistema FIRJAN, no Centro do Rio (Av. Graça Aranha, 1). O evento abordará conceitos como Produção e Consumo Sustentáveis, Economia Circular e Logística Reversa.

No dia 1º de junho, o foco do debate será em Economia Circular. A proposta é repensar a oferta tradicional de produto, rompendo com a linearidade “extração-produção-descarte” e apresentando possibilidades de maior eficiência na produção, redução de desperdício de material e energia e solução completa para o cliente, gerando ganhos ambientais e econômicos e produtos com maior valor agregado. O seminário contará com a presença de um ícone da Economia Circular mundial, o palestrante holandês Douwe Jan Joustra, seguido de um debate bastante qualificado. Podem se apropriar de informações práticas especialmente os setores químicos, extrativistas, de bens duráveis (automotivo) e construção civil.

Já no dia 2 de junho, as palestras serão sobre Logística Reversa de Embalagens em Geral e abordarão o acordo nacional setorial de logística reversa de embalagens e estratégias de negócio para tomada de decisão acerca da melhor forma de atender à Política Nacional de Resíduos Sólidos. O foco em embalagens trará informações relevantes especialmente para os setores que entregam seus produtos embalados para o consumidor final, como alimentos, bebidas e cosméticos, bem como aqueles setores que produzem embalagens (papel, vidro e plástico).

Informações completas do evento e inscrições em www.firjan.com.br/acaoambiental.

O “Veste Rio: a Moda Aqui é Fazer Negócio” foi um grande encontro da moda fluminense, que gerou negócios entre os mais de 100 expositores do estado do Rio, que apresentaram suas coleções primavera/verão, e lojistas e compradores de todo o Brasil. As marcas também puderam vender suas peças para o público final no espaço outlet montado pelo evento, com descontos de até 70%.

O Veste Rio contou ainda com área de convivência, espaço gastronômico, workshops e palestras. A especialista da Federação, Carol Fernandes, falou sobre a “Tendência de comportamento e consumo para a próxima temporada” para um grupo de empresários e estudantes de moda.

Carol destacou três macrotendências, apontando-as como importantes quebras de padrões na moda e no estilo de vida da sociedade, como o conceito MINI.max. O movimento mostra que grupos antes tratados como minorias, mesmo às vezes não sendo, ganham agora visibilidade e abrem espaço para uma série de micro mercados: “Começamos a ver o tema diversidade sendo cobrado pelas pessoas e as empresas precisam se reposicionar”.

Segundo a especialista, é importante entender as outras duas macrotendências, com movimentos de pessoas que focam em tecnologia e na busca pelo equilíbrio, e os anseios das novas gerações, pois são transformações que passarão a nortear o setor.

“Temos que olhar para essas mudanças como uma oportunidade e não como uma ameaça. Não quer dizer que todos devem seguir pelo mesmo caminho, é importante conhecer o seu público. Mas hoje as empresas que estão crescendo são as empresas que estão atentas a esses movimentos. Temos muitas marcas no Rio estabelecidas, mas é hora de inovar”, explicou Carol.

A empresária Jandira Barone, diretora da Tristar, assistiu à palestra e ressaltou que as empresas estão procurando inovar para conseguirem se destacar no mercado. “Hoje em dia todo mundo tem acesso às informações. Então é fundamental procurar locais novos de pesquisa, outros caminhos, para não fazer tudo igual. É preciso se diferenciar para se manter no mercado”.

O Veste Rio aconteceu entre 11 e 14 de maio, na Marina da Glória. Realizado pela revista Vogue e o caderno Ela, do jornal O Globo, o evento contou com apoio do Sistema FIRJAN, por meio do SENAI.

Fonte: Sistema FIRJAN

Entre os dias 11 e 14 de maio, acontece o Veste Rio, evento idealizado para gerar negócios e fomentar o segmento da moda no Rio. A programação conta com palestras, feira de negócios e um outlet, em que as marcas participantes poderão vender diretamente ao público.

O Sistema FIRJAN, através do SENAI, apoia o Veste Rio, e está participando do evento, realizando a palestra “Tendência de comportamento e consumo para a próxima temporada”, com a especialista Ana Carolina Machado.

O Guia da Indústria, um guia digital que reúne informações de fornecedores que compõem o setor de moda do estado do Rio, também será divulgado no Veste Rio.

O acesso ao evento Veste Rio é livre, mas para participar da feira de negócios é necessário preencher o Cadastro de Compradores.

Inscreva-se na palestra Tendência de comportamento e consumo para a próxima temporada

Saiba mais sobre o Guia da Indústria

Fonte: Sistema FIRJAN

No dia 17 de maio, o Sistema FIRJAN sediará o Seminário Moda, que debaterá oportunidades para o setor e apresentará dados econômicos sobre a cadeia da moda no estado do Rio de Janeiro. Organizado pelo SENAI em parceria com o Sebrae, o evento é gratuito e acontecerá a partir das 9h, na sede da Federação (Av. Graça Aranha, 1 - Centro, Rio de Janeiro).

O seminário contará com palestrantes nacionais e internacionais para apresentar conceitos e cases sobre Economia Colaborativa, Circular e Tecnologia.

Clique aqui para se inscrever.

Nesta quarta-feira, os alunos do SENAI Espaço da Moda, em Nova Friburgo, deram uma aula de tecnologia e criatividade. Durante o evento de formatura da turma de Modelagem, eles apresentaram aos pais, professores e público geral, peças com recortes atuais, tecidos funcionais e curiosidades que traduziram na prática o aprendizado que adquiriram durante os cerca de oito meses de curso.

De maneira geral, lingeries pensadas para mulheres que estão amamentando incluem no conceito funcionalidade e conforto, mas costumam deixar de lado a sensualidade.

Por esse motivo um dos grupos de formandos resolveu apostar nas tiras – tendência atual – para ornar com o sutiã funcional que abre e fecha para facilitar a amamentação. Além disso, incluíram no projeto um tecido que não deixa o leite vazar para a peça seguinte. Para compor, uma calcinha de cintura alta (hot pants) com recorte na lateral em tule e microfibra.

Uma das curiosidades é um vestido com QR Code na etiqueta – aquelas imagens que são lidas pelo celular e, através de um aplicativo, direcionam o cliente para um site com informações completas sobre o produto. Lá o interessado poderia, por exemplo, consultar informações sobre os materiais, pontos de venda, saber como combinar a peça e até entrar em contato com os criadores.

“Como estamos em uma escola de moda, sempre temos que pensar fora da caixinha, não podemos ficar na mesmice e eu sempre proponho isso aos alunos. No curso, eles aprendem vários tipos de modelagem e no projeto final ficam livres para criar”, explica a instrutora Lunanda Motta, que acompanhou o processo de perto. Segundo ela, os professores auxiliam no acabamento e supervisionam o trabalho, mas a ideia é totalmente pensada e executada pelos alunos.

Ao todo foram seis projetos distribuídos em modelagem feminina plana, modelagem íntima feminina, moda fitness masculina, moda praia, e um collant especial para ginástica rítmica, entrando no clima dos jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016.

Conheça os cursos do SENAI para a cadeia da moda

Fonte: Sistema FIRJAN

Terça, 10 Maio 2016 11:37

NOVA EDIÇÃO DA FEVEST É LANÇADA COM NOVIDADES

Escrito por

A maior Feira Brasileira de Moda Íntima, Praia, Fitness e Matéria-prima chega a 26ª edição com uma nova alcunha: Fevest Festival 2016. De cara nova, o evento foi lançado pelo Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo e Região (Sindvest) na última terça-feira (3) no SENAI Espaço da Moda, em Nova Friburgo.

A nova marca conceitual da FEVEST trabalha com a letra F para destacar, em palavras-chave, os potenciais do polo e da região: Fantástico, Forte, Fascinante, Fundamental, Futuro, Fashion, Festival, Fitness, Fabricando estilo, Fino e elegante, Fórmula de sucesso, Friburgo, e infinitas possibilidades que adjetivam as vocações do setor.

Durante a cerimônia de abertura o presidente do Sindvest, Marcelo Porto, destacou que “a feira acontece com o principal objetivo de capitalizar forças, aglutinar os empresários do setor e cada vez mais incentivar a profissionalização, para que as empresas sejam certificadas pelas instituições brasileiras competentes, fomentando o setor e, consequentemente, gerando trabalho e renda”.

Em seguida, o conselheiro da Representação Regional da FIRJAN no Centro-Norte Fluminense, Joel Wermelinger, parabenizou a todos pelo evento, que ele considera o mais importante do ano, e destacou os cursos voltados para o setor, que estão com inscrições abertas no SENAI Espaço da Moda: Planejamento e desenvolvimento de coleção; Custos industriais do Vestuário; Gestão de resíduos sólidos do Vestuário; e Ilustração digital de moda.

Segundo ele, a última análise da FIRJAN Internacional comprova o acerto da aposta da Federação no evento: “As exportações de moda da região Centro-Norte Fluminense aumentaram 24%, se consideramos os valores negociados, em relação a 2015. É um dos nossos setores que mais geram empregos”.

Um novo conceito

O grande diferencial para esta edição é que serão realizadas duas feiras, possibilitando também a compra a varejo de produtos colocados à venda pelos expositores.

Nos dias 6, 7 e 8 de junho será a feira voltada para os negócios que recebe compradores nacionais e internacionais; já nos dias 9 e 10 uma feira aberta ao público em geral para compra direta da população.

Fonte: Sistema FIRJAN

Os industriais do Centro-Norte Fluminense seguem insatisfeitos com as condições financeiras. De acordo com a Sondagem Industrial, divulgada pelo Sistema FIRJAN no dia 6 de maio, a situação financeira das empresas atingiu 30,7 pontos no primeiro trimestre de 2016 - o pior resultado dos últimos 11 anos. Houve redução da margem de lucro (27,4) e maior dificuldade de acesso ao crédito (26,1). A Sondagem Industrial varia de zero a cem pontos. Os valores abaixo de 50 indicam piora ou redução e acima de 50 representam melhora ou aumento.

A pesquisa destaca ainda que, em março, a atividade industrial ficou estável na região. O indicador de volume de produção marcou 50,8 pontos. Com isso a indústria supriu a demanda por seus produtos através da redução do nível de estoques. O indicador de número de empregados registrou 45,8 pontos, nível mais próximo da estabilidade desde janeiro de 2015. Para os próximos seis meses, os empresários entrevistados esperam estabilidade da demanda por produtos industriais. Em relação às exportações, eles estão otimistas.

Para contribuir com a melhoria do ambiente de negócios e a retomada do crescimento econômico do estado e do país, o Sistema FIRJAN destaca que está sendo finalizada a nova edição do Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. O documento, elaborado pelos empresários industriais, apresentará, ainda em maio, propostas para questões estruturais, como infraestrutura, mercado de trabalho e sistema tributário.

Participaram da Sondagem Industrial empresas de Bom Jardim, Cachoeiras de Macacu, Cantagalo, Carmo, Cordeiro, Duas Barras, Macuco, Nova Friburgo, Santa Maria Madalena, São Sebastião do Alto, Sumidouro, Teresópolis e Trajano de Moraes.

Fonte: Sistema FIRJAN

No dia 18 de maio, das 9h às 18h, a FIRJAN Internacional, em parceria com a Funcex, promoverá o curso que aborda três temas fundamentais para a entrada no Comércio Exterior: Marketing Internacional, Incoterms (Termos Internacionais de comércio sobe responsabilidades de transporte e seguro de mercadorias) e Classificação Fiscal de Mercadorias.

O curso acontecerá na sede da Funcex (Av. Rio Branco, 120, Grupo 707 - Centro, Rio de Janeiro) e será ministrado pela especilista em Comércio Exterior e membro do Conselho Técnico da AEB (Associação de Comércio Exterior do Brasil), Marilza Gama.

Para mais informações e inscrições, clique aqui.

(Com informações do Sistema FIRJAN)

img logo rodape

22 2523-8531 . 22 2533-2279

Rua Ariosto Bento de Melo, 65 . lojas 03 e 04

Centro . Cep 28610-100 . Nova Friburgo . RJ

img logo cni img logo firjan img logo sebrae img logo moda